Planejamento estratégico do governo Leite inicia e envolve todas secretarias

O secretário da Secretaria de Governança e Gestão Estratégica (SGGE), Claudio Gastal, reuniu nesta quinta-feira (24) os coordenadores de gestão de todas as secretarias para dar início ao planejamento estratégico do atual governo. Segundo ele, em 100 dias, será montado uma carteira de projetos dos órgãos do Executivo. A partir disso, iniciará a execução dos trabalhos por parte dos servidores de cada secretaria e o acompanhamento pelos assessores de governança do Departamento de Acompanhamento Estratégico da SGGE.

ciclos de governança e gestão
Confira o conceito aplicado. Imagem extraída do Referencial Básico de Governança, publicação do Tribunal de Contas da União – Foto: Divulgação

Os conceitos aplicados serão o Ciclo PDCA (sigla do inglês Plan, Do, Check, Act), no qual a Gestão é responsável por planejar, executar, controlar e agir, e o Ciclo EDM (do inglês Evaluate, Direct, Monitor) de Governança, que consiste em avaliar, direcionar e monitorar.

gestao500
A regionalização dos resultados será um diferencial – Foto: Laiz Flores/SGGE

A implantação e consolidação dessa cultura também contribuirá para a elaboração do Plano Plurianual e do Orçamento do Estado. “O governador Eduardo Leite considera o monitoramento dos resultados como prioridade de sua gestão. Todos os secretários serão responsáveis por acompanhar as metas estipuladas e justificar o seu andamento. A SGGE será o centralizador desse processo”, disse Gastal.

A regionalização dos resultados será um diferencial. “Esse método facilita a visualização de como o poder público trabalha em cada região e o que pode melhorar. Não queremos reinventar a roda. Manteremos o que estava dando certo, como o Acordo de Resultados, e vamos implantando novidades ao longo do percurso. É o que eu digo: só não gosta de checagem quem não gosta de apresentar resultados”, complementou o secretário.

O objetivo será construir uma base comum de conhecimento sobre a situação e evolução do Estado, alinhar a liderança do governo quanto às prioridades estratégicas, embasar e direcionar o trabalho das secretarias, assim como instalar e reforçar no Estado a mentalidade de uso de dados e análises para tomada de decisões.

Texto: Lucas Barroso/SGGE
Edição: André Malinoski/Secom
Foto: Laiz Flores/SGGE