19.76Porto Alegre

quinta-feira, 17 outubro 2019

Marco Aurélio Santos Cardoso será o secretário da Fazenda do RS

Funcionário de carreira do BNDES, o escolhido de Eduardo Leite é atual superintendente de crédito do banco

Vem do Rio de Janeiro o secretário da Fazenda de Eduardo Leite (PSDB). É o economista Marco Aurélio Santos Cardoso, 43 anos, funcionário de carreira do BNDES e atual superintendente de crédito do banco de fomento.

Por cinco anos, Marco Aurélio foi secretário da Fazenda de outro Eduardo, o Paes, na prefeitura do Rio. Ele assumiu em substituição a Eduarda La Rocque e só saiu da prefeitura em 2016 para assumir toda a área de crédito do BNDES a convite da então presidente Maria Silvia Bastos Marques, atual presidente da Goldman Sachs no Brasil e uma das economistas mais respeitadas no mercado.

Eduardo Leite conheceu Marco Aurélio pessoalmente há mais de três anos, quando era prefeito de Pelotas, mas foi o economista Aod Cunha, secretário da Fazenda no governo de Yeda Crusius, quem agora fez a ponte entre os dois, depois de consultar especialistas em finanças públicas para encontrar o perfil adequado à gestão da crise no Rio Grande do Sul.

Pelo menos três nomes de peso ajudaram a definir o perfil: a secretária executiva do Ministério da Fazenda, Ana Paula Vescovi, o ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga e o economista Fábio Giambiagi. O nome de Marco Aurélio teve o endosso de Giambiagi e do economista  Sérgio Guimaraes, que  já trabalhou como subsecretário de Joaquim Levy no governo do Rio e conhece o trabalho do futuro secretário da Fazenda do Rio Grande do Sul.

O ex-prefeito Eduardo Paes é só elogios ao antigo colaborador.

— É um cara excepcional. Seríssimo.  Seria meu secretário da Fazenda se eu tivesse sido eleito — disse o ex-prefeito do Rio ao ser consultado por uma pessoa da confiança de Aod.

O convite foi aceito há duas semanas, depois de uma série de conversas com o governador eleito por telefone, skype, videochamada e Whats App, mas Leite segurou a informação a pedido de Marco Aurélio, que antes precisava acertar sua situação no BNDES (ele virá cedido) e tirar alguns dias de férias. Nesse período, o economista teve longas conversas com Leite e com Aod. Estudou a estrutura do Estado, mergulhou na situação das finanças, pediu e recebeu informações.

Além das conversas pessoais, pesou na decisão de Marco Aurélio para aceitar o convite e a entrevista que Eduardo Leite deu à jornalista Miriam Leitão, na Globo News, uma semana depois da eleição. Economistas do Rio e de São Paulo ficaram positivamente impressionados com a clareza do tucano. Nos grupos de WhatsApp o comentário era de que quem conversava com Leite e com o governador eleito do Rio, Wilson Witzel, concluía que “a diferença é da água para o vinho”.

Formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Marco Aurélio já chefiou Departamento de Mercado Internacional do BNDES. Em 2009, foi cedido para a prefeitura do Rio. Assumiu primeiro a Superintendência de Tesouro Municipal e, depois, o cargo de Subsecretário de Gestão. Antes de fazer concurso para o BNDES, trabalhou por nove anos no setor privado, nas áreas financeiras da Alcan, Arthur Andersen e Banco BBM.

foto:

Marco Aurélio Santos Cardoso foi presidente da Associação Brasileira das Secretarias de Finanças das Capitais (Abrasf)Abrasf / Divulgação

GZH

Resumo do Currículo 

Marco Aurelio Santos Cardoso

Superintendente de Crédito do BNDES desde novembro de 2016. Economista concursado do BNDES desde 2003, foi responsável por diversas operações de mercado de capitais do Banco na área de renda fixa, tendo chefiado o Departamento de Mercado Internacional da instituição até 2009. De 2009 a 2016, esteve cedido à Prefeitura do Rio de Janeiro, onde ocupou os cargos de Secretário Municipal de Fazenda (2012-2016) e Subsecretário do Tesouro Municipal (2009-2012). Com graduação e Mestrado concedidos pela UFRJ e especialização em Finanças pela Thunderbird School of Global Management (EUA), trabalhou também por nove anos no setor privado, em áreas financeiras da Alcan, Arthur Andersen e Banco BBM.