Rodrigo Maia planeja engavetar reforma da Previdência, diz jornal

Deputados resistem em aprovar mudanças em ano eleitoral

Caso não seja aprovada em 20 de fevereiro, a reforma da Previdência poderá ser engavetada pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Segundo reportagem do jornal Folha de S.Paulo, sem a previsão de que o governo conseguirá os votos necessários, o deputado não pretende agendar uma nova data para apreciação da proposta. A aprovação depende do apoio de 308 dos 513 deputados.

Ainda segundo a reportagem, Maia teria se irritado com as declarações do presidente Michel Temer, que disse já ter feito a sua parte para que o projeto avançasse no Congresso. O presidente da Câmara estaria preparando um discurso com críticas ao Planalto, caso a proposta não seja aprovada.

Em razão do ano eleitoral, a aprovação de alterações polêmicas no sistema previdenciário encontra resistência entre os deputados. Possível candidato à Presidência, Maia obteve apenas 1% das intenções de votos na última pesquisa Datafolha. O presidente da Câmara também estaria levando em conta o fato de que a retirada da reforma da Previdência da pauta poderia fazer com que outros projetos, com maior apelo, avancem no Congresso.

No domingo (4), Temer se reuniu com o relator do projeto, Arthur Maia (PPS-BA), e os ministros Henrique Meirelles (Fazenda) e Moreira Franco (Secretaria-Geral), para debater alguns pontos que podem ser negociados na reforma. O governo estima ter hoje cerca de 250 votos a favor da proposta.

Fonte: GaúchaZH

Foto: Alex Ferreira / Câmara dos Deputados