Afisvec participa de encontro com presidente nacional do PDT

 

No dia 20 de junho, o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, esteve em Porto Alegre para conversar com as entidades representativas dos servidores públicos do Estado, na Assembleia Legislativa. O presidente da Afisvec, Abel Henrique Ferreira e o vice, Gonar Fernandes, acompanharam o encontro organizado pela deputada Juliana Brizola, que trouxe também para o bate-papo, o pré-candidato ao governo do Estado pela sigla, Jairo Jorge.

Os dirigentes cobraram uma postura mais definitiva do PDT na votação contra o pacote do governador José Ivo Sartori. Pediram que a direção do partido tenha uma ação junto a alguns parlamentares, que apesar da decisão do partido de sair do governo, continuam a favor dos projetos do Executivo. O presidente da Afisvec manifestou a opinião da entidade sobre o tema e mostrou que existem outras saídas para o Estado, tais como a nomeação de mais auditores-fiscais, responsáveis pelo o aumento da arrecadação.

Para exemplificar, Abel citou o ganho do Estado com a contratação dos 89 novos agentes, recém nomeados. Em três meses do trabalho eles atingiram um crédito de ICMS de R$ 252 milhões através de 277 autos de lançamentos. “O Estado que está com problemas financeiros não pode abrir mão de nomear aqueles que tem condições de ir buscar o tributo”, comentou. O presidente também criticou o aumento de alíquota, em pleno momento de crise. “Isso não vai aumentar a receita, porque acaba estimulando a sonegação”, detalhou.

Uma das PECs destacada pela maioria dos servidores foi a PEC 256/2016, que trata da liberação de dirigentes sindicais. O ex-prefeito de Canoas, Jairo Jorge, assinalou que o RS vive um processo de dissolução do Estado. Jairo Jorge frisou ainda que a PEC citada, referente à diminuição da representação sindical, busca o enfraquecimento, a desmobilização e a desestruturação dos servidores e do serviço público. “Não há futuro na democracia sem representação forte e não há diálogo sem os sindicatos. Sem isso sobra o paternalismo, o clientelismo, e esta PEC está dentro de uma estratégia de silenciamento das vozes”, finalizou.

Para o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, é necessário fazer uma profunda reflexão sobre o momento em que vive o Rio Grande do Sul. Lupi se comprometeu em auxiliar os servidores junto aos deputados. Frisou que a história do PDT foi construída em defesa dos trabalhadores e que esta sempre foi a linha do partido.

Assessoria de Imprensa

GE7 Comunicação

Gilvânia Banker