AL deve votar propostas mais polêmicas a partir da semana que antecede Natal

Projetos que devem entrar em pauta são considerados difíceis de serem aprovados

A Assembleia Legislativa aprovou, nesta terça-feira, 14 dos 16 projetos previstos para serem votados em ritmo acelerado. Com a queda de quórum, as duas restantes serão definidas durante a reunião de líderes, às 11h30min desta quarta-feira. Todas as propostas, sem qualquer polêmica, abrem caminhos para a apreciação de pautas consideradas decisivas pelo governo Sartori.

Para destrancar a pauta, os deputados vão realizar sessão plenária na tarde desta quarta. Devem ser votadas as contas de 2014 do ex-governador Tarso Genro, Plano Plurianual e orçamento para 2018. Também vai ser votado o pedido de publicação do pacote de projetos para a Segurança Pública. Se aprovado o acordo de lideranças, a discussão em plenário dos projetos pode começar na semana seguinte.

 

Sessão cancelada por causa do Mundial

Já se sabe, porém, que a sessão plenária de terça-feira que vem vai ser cancelada a pedido dos deputados que pretendem acompanhar a semifinal do Mundial. O Grêmio joga com Pachuca ou Wydah Casablanca, à tarde. As votações serão retomadas em sessão na quarta-feira. A expectativa é de início da votação das pautas polêmicas na semana posterior, antes do Natal.

Entre os projetos considerados decisivos pelo Palácio Piratini, o projeto de adesão ao Regime de Recuperação Fiscal, três propostas de emenda à Constituição para derrubar a obrigatoriedade de realização de plebiscito para privatizar a CEEE, Sulgás e CRM e dois projetos do IPE, a respeito de alterações no regime de previdência dos servidores.

O governador José Ivo Sartori já deixou claro que vai colocar sessões extraordinárias para que as propostas mais polêmicas sejam votadas ainda neste ano. No dia 22 de dezembro, o regime de urgência de 19 projetos vence. Portanto, a chance de sessão extraordinária é alta.

Fonte: Correio do Povo

Foto: Wilson Cardoso / Assembleia Legislativa / CP